segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Rosa


Aquele é um espaço cheio de encanto, com muitos bichos de pelúcia, ainda, muitas fotos no quadro de cortiça, onde se fundem abraços e sorrisos de pessoas que convivem ou conviveram com ela, desde o tempo daquele outro quarto cor-de-rosa. Lá havia o quebra-cabeças de 2000 peças que montamos, todos juntos, também de moldura rosa, como os armários, a cama e a escrivaninha; nichos cheios de livros e de bonecas vindas daqui e dali, além de, naturalmente, muitas e muitas fotos, algumas das quais se mantêm neste outro espaço onde predomina o verde claro. Entrando ali, sinto uma espécie antecipada de nostalgia, pois daqui a bem pouco tempo os bichos de pelúcia terão que procurar outra dona, para que possam continuar a ser embalados pelos sonhos coloridos de menina. Mais tarde, talvez este quarto novamente mude de cor; no entanto, para mim, será sempre rosa, exatamente da tonalidade de nossa alegria deste tempo todo de convivência com esta nossa menina que cresceu e que continuará a ser feliz numa outra casa, para onde ela certamente levará ternas recordações de seu antigo mundo cor-de-rosa.


12 comentários:

  1. Lindo! Elas crescem e vão cuidar de suas vidas, mas serão sempre meninas para quem é mãe, não é?

    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Meninas eternas, Limara. Ainda bem!
    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Maravilhoso! Vc.conseguiu fazer um texto lindo, nesta hora em que o coração das mães fica tão "apertadinho"...
    O ninho fica vazio sim...mas por pouco tempo,logo nossos filhos nos presenteiam com criaturinhas lindas,travessas,"bochechudas" que fazem com que tudo se repita ! Ainda bem ! E como um milagre passamos para uma fase da vida tão linda como era no comecinho.....Quando podíamos tê-los debaixo das nossas "asas"
    Grande beijo!!!!
    Roseli

    ResponderExcluir
  4. Roseli:
    Que delícia de mensagem, quanta ternura... A melancolia é mesmo atropelada por sonhos venturosos, pois a vida está aí, pulsando e abrindo as portas para um futuro cheio de mimos e de carícias!
    Bjos a você.

    ResponderExcluir
  5. Achei lindo o texto. Muito coisa de mãe que não quer que o filho cresça. Mas depois vêm os netos e é melhor ainda, porque para os avós fica a parte mais gostosa que é deseducar! rsrsrs

    ResponderExcluir
  6. Amanda:
    Lembrei daquela frase antológica de Gibran Khalil Gibran : "Vossos filhos não são vossos filhos. São filhos e filhas da ânsia da vida por si mesma. Vêm através de vós, mas não de vós. E, embora vivam convosco, a vós não pertencem."
    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Maria Teresa
    Já passei por uma fase rosa e também por uma fase azul. Senti tanto aquilo que tão bem descreveu...
    Mas olhe, estou a passar por uma nova fase. Diferente, mas também muito bonita: a fase "Rosa-Avó". É maravilhosa!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Lourdes:
    Sabe quando você vai lendo a mensagem e um sorriso doce vai se formando pouco a pouco, até se tornar amplo no final dela? Pois foi isso que aconteceu.
    Bjo carinhoso

    ResponderExcluir
  9. Um processo invariável, mas sempre novo para cada um, sempre doce com uma pitadinha de amargo. É a vida. Linda mensagem.

    Beijo

    ResponderExcluir
  10. Obrigada, Dade. De fato, os paradoxos da vida é que a tornam tão atraente, tão sedutora.
    Beijo carinhoso.

    ResponderExcluir
  11. Adoro seus neologismos, Nivaldete!
    Bjos

    ResponderExcluir